Comissão Distrital da CDU

 Candidatos Lamego 2021-05-05.jpg

 No âmbito das eleições autárquicas de 2021, a Comissão Coordenadora da CDU anuncia hoje os nomes dos primeiros candidatos da CDU à Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Lamego a serem apresentados publicamente dia 11 de maio, às 18:00h na Avenida Dr. Alfredo de Sousa, junto ao Centro de Trabalho do PCP, participa Octávio Augusto membro da Comissão Política do Comité Central do PCP:

https://c7.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/G8c1847a2/22062537_tTrFR.jpeg

Em nome da CDU agradecer a todas as pessoas presentes, a todas saúdo com a confiança que nos move!

Apresentamos hoje a nossa candidatura às eleições autárquicas locais reafirmando o nosso projeto e percurso, únicos e distintivos, inseparáveis dos valores de abril e da grande conquista de abril que é o poder local.

A CDU – Coligação Democrática Unitária, reunindo o Partido Comunista Português, o Partido Ecologista Os verdes e a Associação Intervenção Democrática, bem como muitos independentes, tem sido, também em Viseu, um amplo espaço de participação unitária e de convergência democrática que agrega milhares de mulheres e homens, jovens e menos jovens, com e sem filiação partidária. É isto que queremos continuar a ser.

Temos identidade própria construída e afirmada nos mandatos que reassumimos após um período de ausência nos órgãos autárquicos de Viseu, graças ao trabalho que desenvolvemos mesmo sem eleitos. Temos sido um fator decisivo de intervenção cívica e política, espaço de trabalho por uma vida melhor para o nosso concelho, de defesa e transformação das condições de vida e de valorização do nosso território.

Somos inquestionavelmente uma força transformadora e de esquerda no poder local consagrado na Constituição da República, indispensável na luta pela verdadeira promoção das condições de vida das populações e pela efetivação dos seus direitos.

Seremos a FORÇA QUE OS ELEITORES DECIDIREM DAR-NOS com o seu voto, honrando todo o trabalho desenvolvido no Concelho. Estivemos presentes na consolidação da democracia, reafirmámos com determinação esta luta por abril em 2013, recebemos de novo a confiança dos munícipes em 2017. Propusemo-nos conquistar mais democracia, mais transparência, mais pluralidade na gestão autárquica do concelho. Assim fizemos acontecer e, olhos nos olhos, podemos hoje responder com o trabalho desenvolvido. Esta é uma candidatura coletiva, construção de todos e com todos aqueles que em nós confiaram e confiam, concretizando uma cidadania ativa, plena e participada, indispensável à concretização de caminhos de realização, desenvolvimento e felicidade para o nosso concelho.

Camaradas, companheiros e amigos: tragam mais um/a amigo/a para esta luta, para o trabalho em prol do desenvolvimento de Viseu! Todos somos necessários neste combate!

A proximidade às pessoas que procurámos ouvir, a resolução de problemas concretos das localidades, a fiscalização democrática do trabalho do executivo camarário e apresentação de propostas em atitude sempre construtiva, foram o Norte que sempre seguimos ao longo de oito anos de mandato. É público o nosso trabalho, a nossa intervenção, a nossa imparável determinação.

É com muita alegria, confiança e esperança que damos continuidade a este combate. É com grande satisfação que ouvimos todos os dias muitas pessoas de diversos estratos sociais, com diferentes conceções políticas, afirmar que votarão na CDU nas próximas eleições. Incentivos que nos dão força e combatividade na certeza de que o trabalho realizado fala por nós.

As vitórias constroem-se, com trabalho, com esperança no futuro, com a coragem necessária e a confiança sustentada no trabalho desenvolvido.

Os viseenses têm todas as razões para acreditar que esta é a candidatura alternativa a muitos anos de monocromia no poder autárquico em Viseu!

Viva Viseu

Viva a CDU!

https://c7.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/G8c1847a2/22062537_tTrFR.jpeg

Minhas senhoras, e meus senhores, camaradas, companheiros e amigos,

A CDU apresenta hoje os seus primeiros candidatos à Câmara e à Assembleia Municipal de Viseu. Eu próprio serei o primeiro candidato à Câmara Municipal e a minha camarada Filomena Pires será a primeira candidata à Assembleia Municipal.

Aceitei, portanto, o convite do PCP e do PEV para ser o primeiro candidato da CDU à Câmara Municipal de Viseu nas próximas eleições autárquicas.

Vamos travar este combate eleitoral com dois grandes objetivos:

- levar a voz da CDU aos órgãos das autarquias do concelho de Viseu contribuindo também dessa forma, para elevar o bem-estar e a qualidade de vida de todos os viseenses;

- continuar a contribuir para uma mudança de política no plano nacional abrindo caminho a uma política patriótica e de esquerda.

Um objetivo não está primeiro que o outro. Estes dois objetivos estão interligados. Sem uma mudança de política não é possível mobilizar investimentos públicos centrais para acudir às necessidades em infraestruturas e equipamentos essenciais às populações. Sem eleitos da CDU nos órgãos autárquicos do concelho de Viseu, os interesses das populações continuarão a ser esquecidos e a ficar á porta desses órgãos. 

Bem sabemos que não é nas eleições autárquicas que está a solução para a mudança de política que os portugueses reclamam. Mas, também é verdade que o resultado das eleições autárquicas contribuirá para alcançar esse objetivo. Um bom resultado eleitoral da CDU contribuirá decisivamente para uma mudança de política.

Por outro lado, o concelho de Viseu e os viseenses merecem autarquias (Câmara, Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia) que contribuam para que se viva melhor na nossa terra.

O concelho precisa de autarquias que se envolvam no combate em defesa da criação da Universidade Pública de Viseu. No passado, assistimos ao habitual e triste espetáculo em que os partidos que têm rodado no poder são a favor da criação da Universidade Pública de Viseu quando estão na oposição e passam a ser contra quando chegam ao poder. Pela nossa parte assumimos sempre e com clareza a defesa da criação da Universidade Pública de Viseu enquanto instrumento e fator de desenvolvimento desta vasta região. Assumimos sempre esse combate nas ruas e na Assembleia da República com a apresentação de vários projetos de lei. Na Câmara e na Assembleia Municipal a CDU continuará a defender a criação da Universidade Pública de Viseu.

Viseu precisa de órgãos autárquicos que assumam a luta contra as portagens como uma questão estratégica para os cidadãos e as empresas desta região. Não é aceitável a passividade com que, no concelho e no distrito, com raras exceções, PSD, PS e CDS continuam a pactuar com este ataque aos interesses da região. Será que a Câmara de Viseu não podia nesta matéria fazer mais do que umas piedosas declarações? Claro que podia e devia. Pela nossa parte aqui afirmamos que continuaremos essa justa luta contra as portagens na rua e nos órgãos autárquicos para os quais os cidadãos do concelho decidam eleger candidatos da CDU. De igual forma nos bateremos que construção da autoestrada de ligação a Coimbra e pela efetiva melhoria da Estrada Nacional 229 (a ligação de Viseu até ao Sátão). Sobre esta última, valia a pena que um dia o PS explicasse para que serviram os milhões de euros ali gastos. Sim, foi num governo do PS que se enterraram uns milhões na Estrada Nacional 229 desperdiçando a oportunidade de criar um traçado tipo itinerário complementar, alargando e requalificando de facto aquela importante ligação de Viseu a diversos concelhos do norte do distrito.

Já em anteriores eleições autárquicas e legislativas promovemos o debate em torno da necessidade do caminho-de-ferro para a cidade de Viseu.

A ligação do caminho-de-ferro à cidade de Viseu é outra das importantes propostas da CDU. Caminho-de-ferro que foi eliminado da nossa cidade por um Governo do PSD/Cavaco Silva, perante o silêncio cúmplice do poder autárquico. A CDU, foi a única força política que se opôs à supressão do caminho-de-ferro da cidade e a única força política que apresentou em diversas legislaturas projetos de lei que propunham o restabelecimento da ligação ferroviária à cidade e ao concelho de Viseu.

Viseu é a única cidade da Europa desta dimensão que não é servida pelo caminho-de-ferro.

Vamos novamente ouvir nesta campanha eleitoral o PSD, o PS e o CDS falar desta questão. Mas, importa perguntar – quando circulam pelo poder, o que fizeram para concretizar esta infraestrutura determinante para o desenvolvimento do concelho de Viseu e de toda a região? Ou ainda – porque é que o PSD, o PS e o CDS votaram contra as propostas dos partidos que integram a CDU no sentido de que em vários orçamentos de estado figurassem verbas para estudar a ligação de Viseu à rede ferroviária nacional? Vai certamente repetir-se a cena do costume – nas campanhas eleitorais erguem esta questão como importante … chegada a hora de votar são contra. E nas autarquias para que são eleitos nada fazem para levar o governo a concretizar esta justa e velha aspiração dos viseenses.

Coisa semelhante se passa com o matadouro de Viseu. Conversa e promessas do PSD, do PS e do CDS há para todos os gostos. Mas, a verdade é que Viseu continua sem essa importante infraestrutura. A verdade é que, segundo as estruturas regionais da agricultura, desde o encerramento do Matadouro de Viseu até há uns anos atrás, a região tinha perdido dezenas de milhares de cabeças de gado. A construção ou reconstrução do Matadouro de Viseu podia não resolver este problema, mas teria ajudado. E esta é uma questão importante para muitas famílias que no concelho de Viseu e na região vivem da agricultura e da pecuária. E, quando não vivem exclusivamente destas atividades, elas são um importante complemento dos seus rendimentos. Trata-se igualmente de uma matéria de grande importância para o país se tivermos em conta que hoje importamos a maioria dos produtos que comemos.

Na Câmara e na Assembleia Municipal de Viseu a CDU assumirá a questão da construção ou reconstrução do matadouro como uma matéria de grande prioridade.

Outra questão para nós prioritária é a revitalização e reabilitação do centro histórico da cidade de Viseu. Esta é uma questão nuclear por três ordens de razões:

- melhorar a qualidade de vida e de habitação de muitas famílias e recuperar para a habitação muitas das casas degradas e em ruínas da zona histórica, disponibilizando-as a casais jovens e outros moradores a preços sociais

- dinamizar o comércio local que hoje se encontra em processo de completa desintegração;

- e, não menos importante, com estas intervenções, contribuir para a dinamização da construção civil, sector que reconhecidamente serve de motor do desenvolvimento económico, contribuindo desse modo para combater o flagelo do desemprego.

Este processo de requalificação deve ser acompanhado de outras medidas, nomeadamente a instalação no centro histórico de mais equipamentos âncora, que criem postos de trabalho e estimulem a atividade económica com a atração e fixação de pessoas e o desenvolvimento de campanhas criativas e estímulos para a dinamização do comércio local.

Continuaremos a bater-nos pela candidatura do centro histórico de Viseu a Património Mundial da Humanidade.

Falta ao concelho de Viseu um Plano Estratégico de Desenvolvimento Turístico. No plano da promoção e do desenvolvimento do turismo está quase tudo por fazer. A responsabilidade não será apenas da Câmara, pois importa não esquecer a criação dessas mega estruturas envolvendo vários distritos e regiões que reduziram a eficácia e operacionalidade aos serviços.

Neste domínio, é indispensável investir em infraestruturas de base, que tragam mais turistas a Viseu.

 Importa perguntar:

- onde está o parque de campismo de Viseu?

- que fez a Câmara para forçar a requalificação, promoção e utilização do belíssimo espaço natural de Vale de Cavalos, na freguesia de Côta?

Nós na CDU defendemos que o desenvolvimento turístico de Viseu exige uma visão integrada que associe a cidade e o seu património, às Termas de Alcafache e S. Pedro do Sul, às serras do Caramulo, do Montemuro, da Estrela, ao Douro e às Terras do Demo.

Continuamos a defender, a construção de um metro de superfície que, numa primeira fase, ligue Viseu à região de Lafões. Trata-se de uma infraestrutura necessária à região quer no plano dos transportes públicos quotidianos quer para o desenvolvimento turístico ligando Viseu às Termas de S. Pedro do Sul e a toda a região de Lafões e Vale do Vouga.

Melhor seria que, em 1990, pela mão de um governo do PSD, as Linhas do Vale do Vouga e do Dão não tivessem encerrado. Melhor seria que tivessem sido modernizadas.

Mas, no concelho de Viseu há muito mais a fazer. Há muita luta a travar nos órgãos autárquicos e fora deles para que seja possível viver melhor na nossa terra.

Vivemos num concelho onde, segundo os censos de 2011, residem cerca de 100.000 cidadãos.

Mas, é um concelho mal servido de transportes públicos sobretudo a partir do momento que começaram as supressões de horários e ligações.

Vivemos num concelho onde ainda existem problemas de saneamento básico e abastecimento público de água para muitas habitações.

Um concelho onde faltam médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar em diversas extensões de saúde, onde milhares de cidadãos recorrem “à sopa dos pobres” fornecida pelas IPSS, onde aumenta exponencialmente o número de desempregados e de pessoas a viver da “caridadezinha”, não pode ser o melhor concelho para se viver.

Habitamos num concelho onde “O Rossio” continua longe das freguesias e as freguesias longe do “Rossio”.

Não esquecemos as questões do apoio programado e atempado à cultura e do estímulo ao trabalho em rede que as diferentes estruturas que operam nesta área devem desenvolver. Como não esquecemos o apoio equitativo às coletividades de desporto, sobretudo àquelas que apostam na formação e na diversidade de desportos praticados.

As populações do concelho de Viseu podem continuar a contar com a CDU para, nos órgãos autárquicos e no plano da luta social, defender os seus direitos e interesses, para lutar por melhores condições de vida nesta região.

Vivemos num concelho onde faz falta a voz da CDU nos órgãos autárquicos.

Estamos a construir as listas da CDU aos órgãos autárquicos. Listas que contarão com muitos homens e mulheres independentes. Contamos com os homens e mulheres sem filiação partidária que quiseram vir hoje ao Rossio apoiar a CDU.

Os viseenses podem contar connosco!

Obrigado.

Viseu 2021-05-03_2.jpg

 Em anexo as intervenções integrais dos primeiros candidatos da CDU aos órgãos municipais do concelho de Viseu.